Parque Estadual de Campinhos (PEC)

Horário de Atendimento:
De quarta a segunda-feira, das 9h às 17h, com entrada na caverna até as 14:30. Nas segundas-feiras, o Parque encontra-se fechado para manutenção interna.

Chefe da Unidade:
Eloíse Regina Catetti Medeiros

Contato:
E-mail: iapcuritiba@iat.pr.gov.br
Telefone: (41) 3659-1428

Como chegar:
Situado a 63 km de Curitiba e a 8 km de Tunas do Paraná, o acesso principal do Parque é pela Rodovia Federal BR-476. Esta Rodovia, denominada Estrada da Ribeira, atualmente encontra-se pavimentada e em boas condições de tráfego, podendo-se acessar o Parque em aproximadamente 2 horas, a partir de Curitiba. 

Localização:
Cerro Azul e Tunas do Paraná

 

O Parque Estadual de Campinhos foi criado em 1960, pelo Decreto Estadual n° 31.013 e ampliado pelo Decreto Estadual n° 5.768, com o objetivo principal de proteção das Grutas do Conjunto Jesuítas/Fada, que representam um dos monumentos naturais de maior importância do patrimônio espeleológico paranaense. 

Com uma área de 336,98 hectares, o Parque abrange parte dos Municípios de Tunas do Paraná e Cerro Azul, os quais integram a porção norte da Região Metropolitana de Curitiba.
O principal atrativo do PEC é a Gruta dos Jesuítas, 5ª maior do Estado e com citações bibliográficas que datam do século XIX. 

A região do Parque apresenta um relevo montanhoso, com altitude média em torno de 900 metros, constituída por rochas do Grupo Açungui. Também denominada de Província Espeleológica do Vale do Ribeira, esta região apresenta alta concentração de cavernas e feições de relevo calcário. 

Na região do Parque ocorria, originalmente, a Floresta Ombrófila Mista Montana (Floresta com Araucária). Entretanto, em função da extensa exploração ocorrida, pouco resta da cobertura original.

(As informações sobre o Parque Estadual de Campinhos constantes neste site foram retiradas de seu Plano de Manejo, elaborado em 2003).

 

Gruta dos Jesuítas: O principal atrativo do PEC é a visita à Gruta dos Jesuítas, no qual o visitante percorre uma extensão de aproximadamente 550 metros por amplos salões, ricamente ornamentados por espeleotemas tais como estalagmites, estalactites, colunas, cortinas, travertinos, entre outros, percorrendo um circuito de grande beleza cênica.

Trilha da Floresta: Para aqueles que gostam de caminhada, o Parque oferece a Trilha da Floresta, onde os visitantes percorrem aproximadamente 900 metros em mata nativa, além disso, o PE oferece educação ambiental no Centro de Visitantes, palestra informativa sobre a Unidade de Conservação e conduta consciente, informações básicas de como deve ser o trajeto realizado pelos visitantes na UC.

O Parque resguarda parte da vegetação original da Floresta com Araucárias. Na floresta original destacam-se as seguintes espécies: imbuia (Ocotea porosa), pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia), erva-mate (Ilex paraguariensis), cedro (Cedrela fissilis), carvalho brasileiro (Roupala brasiliensis), entre outras. 

Com relação à fauna, destacam-se algumas espécies, como: cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), veado (Mazama sp.), serelepe (Sciurus aestuans), gralha azul (Cyanocorax caeruleus), jacu (Penelope sp.) e espécies de grande importância por estarem ameaçadas de extinção, como: paca (Agouti paca), gato-do-mato (Leopardos Tigrinu), etc.

Recomendações

  • Repelente, protetor solar e roupas confortáveis são essenciais;
  • Use calçados sempre fechados e confortáveis;
  • Comida e água são importantes (mas lembre-se de trazer todos os resíduos de volta, incluindo os resíduos orgânicos, a exemplo de cascas e sementes de frutas);
  • Contribua com a conservação do Parque Estadual de Campinhos andando somente pelas trilhas sinalizadas e locais de descanso permitidos;
  • Procure andar sempre em grupos pequenos;
  • Procure andar em silêncio, contemple a natureza, tire apenas fotografias;

Recomendações acerca do Coronavírus

  • É obrigatório uso de máscara nas embarcações, trilhas, restaurantes e espaços comuns nas pousadas e campings;
  • Utilizar máscara cobrindo boca e nariz, apenas tocar no elástico da máscara quando necessário;
  • Manter higiene das mãos e máscaras;
  • Trocar as máscaras a cada duas horas ou quando necessário;
  • Manter o distanciamento social possível e evitar aglomerações;
  • Não compartilhar copos e utensílios pessoais com outros grupos, sem a higienização necessária

Atividades proibidas:

  • Ingresso de animais domésticos;
  • Fumar;
  • O consumo de bebidas alcoólicas;
  • Acampar
  • O uso de equipamentos que causem distúrbios sonoros na área;
  • Qualquer tipo de comércio ambulante na área do Parque;
  • Andar de carro ou moto fora do estacionamento;
  • O abandono de lixo, detritos de qualquer natureza ou outros materiais que maculem a integridade paisagística sanitária ou cênica da área;
  • Sair fora das trilhas previamente demarcadas e sinalizadas;
  • A prática de atos que possam provocar incêndios na área (fogueiras e churrascos);
  • Porte de facas, facões, foices, assim como de quaisquer outras ferramentas manuais de corte, armas de fogo, motosserras e equipamentos que causem distúrbios sonoros na área;
  • Coletar, depredar, entalhar e desgalhar as espécies arbóreas mantidas nas diversas áreas do Parque;
  • Caçar, pescar, coletar e apanhar peças do meio físico e de espécimes da flora e da fauna em todas as zonas de manejo, ressalvadas aquelas com finalidades científicas, desde que autorizadas pelo IAT - Diretoria do Patrimônio Natural (DIPAN);
  • A entrada de pessoas, veículos e equipamentos dentro do Parque não autorizados pelo IAT;
  • Alimentar e assustar os animais.

Para sua segurança:

  • Cadastre-se. O cadastro é sua garantia de socorro numa emergência;
  • Evite tanto caminhar sozinho, como em grupos muito grandes;
  • A visita ao Parque é realizada por trilhas. Evite danos ao meio ambiente não saindo das trilhas indicadas;
  • Em caso de acidente, procure avisar a administração do Parque o mais rápido possível;
  • Obedeça a sinalização e a orientação dos funcionários e voluntários.

O cadastro deve ser preenchido na chegada à Unidade de Conservação, para segurança do visitante e para a gerência do Parque elaborar estatísticas de atividades, acesso, procedência, faixa etária, etc.

Em caso de grupos acima de 15 visitantes, deverá ser agendada a visita com 20 dias de antecedência, junto ao Parque Estadual de Campinhos. A autorização deve ser entregue ao monitor do Parque no dia da visita. 
Salientamos que é imprescindível que o responsável oriente o grupo sobre as normas de visitação que devem ser seguidas no PEC, a fim de proporcionar segurança aos visitantes e a preservação da natureza encontrada nesta Unidade de Conservação. 

Equipamentos importantes: Os visitantes devem estar calçados com tênis ou botas com solado antiderrapante para evitar acidentes nas trilhas, portar consigo lanternas e pilhas reservas para auxiliar na iluminação dentro da gruta; providenciar lanches, pois no local não há venda de alimentos ou bebidas, e estar sempre atentos às orientações dos condutores e monitores. É indicado levar uma peça de roupa para banho.

Normas do Parque: São apresentadas aqui algumas normas para a visitação, que contribuirão para a conservação do PEC. A sua cooperação é muito importante! 

  • Não é permitida a entrada de visitantes sem lanterna;
  • Leve lista dos integrantes do grupo, com indicação de nome, número de documento de identidade e idade para anexar ao cadastro de visitantes;
  • Deverá ser respeitado o número máximo de visitantes no Parque: a visitação está limitada à Gruta dos Jesuítas e à Trilha da Floresta, com grupos de no máximo 15 pessoas e acompanhados por condutores e monitores;
  • A visita à Gruta da Fada está restrita, apenas a grupos especializados, com o objetivo a realização de atividades de educação ambiental ou pesquisas (com autorização prévia do IAT);
  • Leve lanterna e pilhas reservas, calçado apropriado (tênis ou bota) e uma muda de roupa, pois há o risco de se molhar na Gruta dos Jesuítas;
  • É proibida a realização de qualquer atividade esportiva, desportiva com caráter competitivo ou similar (rapel, rally, motocross, corrida de aventura, futebol e outros) que possa incorrer em danos ao PEC;
  • O lixo deverá ser depositado em lixeiras para cada tipo de resíduo: orgânico, recicláveis, ou leve-o de volta à localidade de destino;
  • São proibidos o ingresso e a permanência no Parque de pessoas portando armas, materiais ou instrumentos destinados ao corte, caça, pesca ou qualquer outra atividade que possa provocar prejuízo aos recursos naturais. Excetuando-se pessoal autorizado pelo IAT, relacionados a trabalhos de pesquisa, fiscalização, vigilância e manutenção;
  • Qualquer dano promovido pelo visitante sujeitará o mesmo às sanções previstas na legislação ambiental vigente;
  • A realização de pesquisas que envolvam captura ou coleta, só será permitida mediante autorização do IAT;
  • As trilhas, caminhos e estradas deverão ser conservados em boas condições de uso, fornecendo segurança ao visitante e aos funcionários;
  • Não será permitida a utilização de cevas ou qualquer outro subterfúgio, com objetivo de atrair a fauna local como atrativo para os visitantes;
  • As espécies exóticas ou domésticas, porventura ocorrentes na área, deverão ser removidas adotando-se medidas de proteção, manejo e fiscalização contra novas invasões;
  • Todos os visitantes deverão ser informados sobre as normas de segurança, o comportamento ideal para as diferentes atividades a serem realizadas e a importância do uso de vestimentas e calçados adequados;
  • Todas as atividades desenvolvidas pela chefia ou por outra instituição em nome do PEC, tais como reuniões, palestras, cursos, entre outros deverão ser registradas e arquivadas na sede do PEC;
  • Não é permitida a realização de necessidades fisiológicas em locais não adequados a este fim;
  • Não será permitida a entrada de visitantes alcoolizados ou drogados no PEC.

Para a sua segurança: Não deixe que seu lazer junto à natureza se transforme em uma tragédia. Procure se informar junto à gerência do Parque sobre as condições das cavernas e das trilhas, conhecendo detalhes que servirão para garantir que sua visita ocorra dentro das normas de segurança e de defesa do meio ambiente. 

Conforme o Artigo 21: parágrafo 3º, Artigo 129: parágrafo 6º e Artigo 132 do Código Penal Brasileiro, poderão ser responsabilizados criminalmente, o guia e/ou organizador do passeio, no caso de lesões corporais ou morte de algum dos integrantes do grupo. Portanto, é fundamental que as normas de segurança sejam seguidas, que se utilize equipamento adequado para visitação em cavernas e que haja bom senso e respeito dos impostos pelas condições ambientais.

Outras orientações

  • É proibido o uso de carbureteira e gás butano dentro da caverna;
  • Contribua com a conservação do Parque andando somente pelas trilhas sinalizadas e locais de descanso permitidos;
  • Procure andar sempre em grupos pequenos e nunca sozinhos;
  • O Parque conta com equipe de voluntários monitorando as trilhas os quais auxiliarão durante a visita;
  • Ande em fila indiana ou 2 a 2;
  • Os passeios da Gruta e da Trilha da Floresta devem ser acompanhados por condutores, voluntários ou monitores ambientais;
  • Em caso de qualquer dúvida à natureza, reportar-se sempre à administração do Parque.