Parque Estadual da Ilha do Mel (PEIM)

Horário de Atendimento:
Consulte os horários de travessia no site www.abaline.com.br

Chefe da Unidade:
Letícia Salomão

Contato:
E-mail: leticia.salomao@iat.pr.gov.br
Telefones: (41) 3213 3461

 

Como chegar:

O acesso à Ilha do Mel é feito de barco via terminal de embarque dos municípios de Pontal do Paraná, na localidade de Pontal do Sul (30 minutos de travessia – custa em torno de R$ 35,00 ida e volta) ou do município de Paranaguá (1h 30min de travessia – custa R$ 53,00 por pessoa ida e volta).

É possível atravessar com os barcos de linha Abaline ou táxis náuticos autorizados.

Na ilha, só é permitido circular a pé ou de bicicleta. Nos terminais de embarque existem estacionamentos para veículos.

Localização:
Município de Paranaguá

 

No ano de 1982, o Serviço de Patrimônio da União - SPU, transferiu a administração da Ilha do Mel, por aforamento, ao Estado do Paraná, gravando como cláusula condicionante a instituição de uma Unidade de Conservação para proteção dos seus ecossistemas naturais. 

Assim, cerca de 81% da superfície da ilha constitui uma Estação Ecológica, criada pelo decreto 5.454 de 21 de setembro de 1982, tendo como objetivo a preservação e reconstituição de manguezais, restingas, brejos litorâneos e caxetais, e cerca de 12% constitui um Parque criado pelo decreto 5.506 de 21 de março de 2002, tendo como objetivo a preservação e reconstituição dos seus ambientes naturais de praia, costões rochosos, importantes remanescentes da Floresta Ombrófila Densa Submontana e de Terras baixas associada à Floresta de Restinga, proporcionando a proteção integral da diversidade biológica.

O Parque Estadual tem 337,84 hectares e a Estação Ecológica 2240,69 hectares, sendo cerca de 93% da Ilha protegida por unidades de conservação.

As áreas de preservação possuem como entorno belíssimas praias e atrativos turísticos, como a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, o Morro do Farol e a Gruta das Encantadas, que, ao longo dos anos, transformaram a Ilha do Mel num dos pontos mais visitados por turistas no Paraná. 

O Conselho não está estabelecido e atuante, se encontra em construção.

São duas as unidades de conservação, que têm por objetivo a preservação do ambiente natural. O Parque, além da preservação permite a visitação pública, educação ambiental, lazer de forma conscientizada e ordenada e a pesquisa científica. A Estação Ecológica, mais restritiva, prioriza a preservação e a pesquisa científica, sendo que a visitação pública só será permitida mediante a autorização do IAT e com fins educativos.

A Ilha do Mel é um destino de ecoturismo, suas principais atrações são praias, morros  e o patrimônio cultural. Dentre os atrativos turísticos destacam-se:

Gruta das Encantadas:
Formação rochosa de influência marinha, um dos patrimônios mais importantes da ilha, para chegar até ela é preciso percorrer uma trilha de cerca 600 metros do trapiche de Encantadas.

Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres
Foi construída em 1679. Patrimônio Cultural que pode ser acessado através de uma trilha de cerca de 4 km do trapiche de Brasília.

Farol de Conchas:
Datado de 1872 o Farol é acessado por uma trilha seguida de uma escadaria com 150 degraus. No topo do Morro das Conchas é possível observar a antiga construção e ter uma belíssima visão panorâmica.

Além dos atrativos citados existem diversas praias e as trilhas a se explorar dentro da Ilha, com dificuldades e extensões variadas, variando de 650 m até mais de 5 km. As trilhas podem ser autoguiadas com o auxílio da sinalização ou feitas com guias contratados.

A vegetação é composta por variadas fisionomias incluindo algumas plantas Orquídeas e Bromélias que chamam a atenção do visitante. A Ilha também abriga ambientes importantes para conservação como os mangues e a restinga.

No mar pode-se visualizar os botos-cinza que são encontrados por toda a baía de Paranaguá se alimentando principalmente de peixes. Nas áreas de praia observam-se caranguejos de cor amarela esbranquiçada conhecidos como “Maria Farinha” (Ocypode quadrata), diversos outros pequenos crustáceos e moluscos. Na área dos costões rochosos é possível visualizar os ambientes criados pelas cracas e outros organismos aderidos à rocha.

Há uma grande diversidade de aves na Ilha, algumas litorâneas como as Fragatas ou Tesourão (Fregata magnificens) e Atobás que sobrevoam as áreas de praia. Já nas áreas de mata é possível observar o Tiê-sangue (Ramphocelus bresilius), alguns Pica-paus, gaviões e falcões.

1 - Planejamento:
Antes de viajar informe-se sobre as condições climáticas do local e destino. Evite transtornos. Certifique-se dos horários de ônibus e barcos e desloque-se com antecedência. Escolha as atividades a serem realizadas conforme o seu condicionamento físico e nível de experiência.

2 - Trilhas:
Caminhe em grupos pequenos de até 10 pessoas. Ande nas trilhas sinalizadas, não use atalhos. Preste atenção onde pisa, pois há risco de animais peçonhentos.

3 - Não há lixo sem dono:
Lixo, mesmo que pequeno, causa impacto ambiental. Separe e deposite-o corretamente ou leve-o de volta com você para o continente. Nunca queime nem enterre o lixo reciclável.

4 - Cada coisa em seu lugar:
Nada se leva de uma Unidade de Conservação. Resista à tentação de levar para casa "lembranças" do passeio ou deixar marcas em árvores e rochas.

5 - Não faça fogueiras:
Às fogueiras matam o solo, alteram os locais de acampamento e provocam incêndios. A fumaça das fogueiras causa poluição do ar e incomodam muita gente.

6 - Respeite os animais:
Observe os animais à distância. A proximidade pode ser interpretada como uma ameaça e provocar um ataque. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves. A caça e o tráfico são crimes graves inafiançáveis.

7 - Poluição sonora:
Os limites para emissão de sons são de 55 decibéis durante o dia e 65 decibéis à noite. Respeite os limites de horário e volume para aparelhos sonoros (incluindo caixas portáteis):

Período Temporada Fora de temporada

Domingo a quinta-feira

00h 00h

Sexta-feira

02h 00h
Sábado, feriado, fim de ano 03h 00h

8 - Não leve animais:
Praia não é lugar de animais domésticos. Deixe-os em casa, pois eles podem transmitir doenças de pele e verminoses.

9 - Economize:
Água é vida. Valorize-a. O abastecimento, na Ilha, é limitado, portanto economize. Não tome banho demorado e não deixe torneiras abertas.

10 - Acampamento:
Acampe somente em locais autorizados. Quando acampado evite incomodar o próximo, respeitando os horários recomendados e limite sua alegria.

Recomendações

  • Repelente, protetor solar e roupas confortáveis são essenciais;
  • Use calçados fechados e confortáveis;
  • Comida e água são importantes (mas lembre-se de trazer todos os resíduos de volta, incluindo os resíduos orgânicos, a exemplo de cascas e sementes de frutas);
  • Contribua com a conservação do Parque Estadual da Ilha do Mel andando somente pelas trilhas sinalizadas e locais de descanso permitidos;
  • Procure andar sempre em grupos pequenos;
  • Procure andar em silêncio, contemple a natureza, tire apenas fotografias;

Recomendações acerca do Coronavírus

  • É obrigatório uso de máscara nas embarcações, trilhas, restaurantes e espaços comuns nas pousadas e campings;
  • Utilizar máscara cobrindo boca e nariz, apenas tocar no elástico da máscara quando necessário;
  • Manter higiene das mãos e máscaras;
  • Trocar as máscaras a cada duas horas ou quando necessário;
  • Manter o distanciamento social possível e evitar aglomerações;
  • Não compartilhar copos e utensílios pessoais com outros grupos, sem a higienização necessária

Atividades proibidas:

  • Ingresso de animais domésticos;
  • Fumar;
  • O consumo de bebidas alcoólicas;
  • Acampar
  • O uso de equipamentos que causem distúrbios sonoros na área;
  • Qualquer tipo de comércio ambulante na área do Parque;
  • Andar de carro ou moto fora do estacionamento;
  • O abandono de lixo, detritos de qualquer natureza ou outros materiais que maculem a integridade paisagística sanitária ou cênica da área;
  • Sair fora das trilhas previamente demarcadas e sinalizadas;
  • A prática de atos que possam provocar incêndios na área (fogueiras e churrascos);
  • Porte de facas, facões, foices, assim como de quaisquer outras ferramentas manuais de corte, armas de fogo, motosserras e equipamentos que causem distúrbios sonoros na área;
  • Coletar, depredar, entalhar e desgalhar as espécies arbóreas mantidas nas diversas áreas do Parque;
  • Caçar, pescar, coletar e apanhar peças do meio físico e de espécimes da flora e da fauna em todas as zonas de manejo, ressalvadas aquelas com finalidades científicas, desde que autorizadas pelo IAT - Diretoria do Patrimônio Natural (DIPAN);
  • A entrada de pessoas, veículos e equipamentos dentro do Parque não autorizados pelo IAT;
  • Alimentar e assustar os animais.

Observação: Qualquer dano promovido pelo visitante sujeitará o mesmo às sanções previstas na legislação ambiental vigente.