Proprietários rurais da Bacia do Miringuava podem receber recursos por práticas ambientais
25/11/2021 - 07:59

Interessados têm prazo de 60 dias para apresentar a documentação. O edital de chamamento público direcionado a esses proprietários foi lançado nesta quarta-feira (24) na Estação de Tratamento de Água Miringuava, em São José dos Pinhais.

 

A Sanepar vai destinar R$ 500 mil para proprietários rurais que adotarem ações de conservação ambiental na região da Bacia do Rio Miringuava, em São José dos Pinhais. O pagamento será feito por meio do programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA). O edital de chamamento público direcionado a esses proprietários foi lançado nesta quarta-feira (24), na Estação de Tratamento de Água Miringuava.

O PSA foi definido por meio de um Termo de Cooperação Técnica assinado pela Sanepar, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Instituto Água e Terra (IAT) para ser executado na Bacia do Miringuava.

A partir de agora, os interessados em fazer parte do programa têm 60 dias para entregar a documentação da propriedade rural na Secretaria de Meio Ambiente, que num prazo de 150 dias vai vistoriar as áreas e confirmar a realização das ações de conservação.

Todas as propriedades localizadas na área de 277 quilômetros quadrados da bacia podem requerer participar do PSA. Os valores do pagamento anual variam de um salário mínimo regional até R$ 25 mil, de acordo com as práticas de conservação implantadas, como preservação de nascentes, mata ciliar, tratamento de esgoto e outras ações ambientais.

O diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, afirma que a Companhia tem o compromisso claro com práticas de preservação ambiental.

“Somos signatários dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas e incorporamos os critérios de ASG (ambiental, social e governança) em nossas práticas e investimentos.”

 No lançamento do edital do PSA, o presidente lembrou que o Paraná está sentindo os efeitos da escassez severa, sem precedentes nos últimos 90 anos.

“Sabemos da necessidade da preservação dos recursos hídricos, principalmente para deixar um legado às futuras gerações, para que tenham alimentos de qualidade e água em quantidade e qualidade. A soma disso é saúde.”

Para a prefeita de São José dos Pinhais, Nina Singer, o pagamento por serviços ambientais é justo e merecido para aqueles que implantam práticas ambientais em suas propriedades.

“A área rural já está sofrendo com a falta de água. Precisamos mudar nossos hábitos. Se cada um fizer uma pequena ação, a soma será enorme. Se não cuidamos de nossos rios e nascentes, o que será do Planeta? Vamos nos unir.

O diretor do IAT, José Scroccaro, lembrou que o programa PSA vem sendo construído há quatro anos e que o seu lançamento deve ser comemorado.

“Vamos ter um modo diferente de ver o manancial. Haverá melhoria na qualidade da água, com menos sedimentos lançados nos rios e maior cobertura vegetal. Os recursos do PSA vão trazer ganhos econômicos, sociais e ambientais.”

Também participaram do evento o secretário municipal de Meio Ambiente de São José dos Pinhais, Wagner Zaclikevis; os vereadores Denilson Grilo e Sinésio Januário; a presidente da Comissão Ambiental da OAB-PR, Patrícia Précoma; representantes da Fundação O Boticário e da ONG The Nature Conservancy, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná), do Conselho Municipal de Meio Ambiente e técnicos da Sanepar.


Saiba mais sobre o trabalho da Secretaria de  Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo em: www.facebook.com/desenvolvimentosustentaveleturismo

O PSA foi definido por meio de um Termo de Cooperação Técnica assinado pela Sanepar, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Instituto Água e Terra (IAT) para ser executado na Bacia do Miringuava.

A Sanepar vai destinar R$ 500 mil para proprietários rurais que adotarem ações de conservação ambiental na região.

 

 

Últimas Notícias