Parque Estadual de São Camilo (PESC)

Horário de Atendimento:
De terça-feira a domingo e feriados, das 8h às 17:30h.

Chefe da Unidade:
Norci Nodari

Contato:
E-mail: norcinodari@iat.pr.gov.br
Telefone: (45) 3252-2270

 

Como chegar:
O acesso rodoviário ao município de Palotina pode ser realizado pelas rodovias estaduais PR-182 e PR-364, ou pela rodovia federal BR-467. Existem linhas de ônibus para o município a partir da capital do Estado, Curitiba, e a partir de outros municípios da região. Já o aeroporto mais próximo situa-se em Cascavel, para onde existem voos regulares a partir de Curitiba.

Localização: Município de Palotina
Mapa

 

O Parque Estadual de São Camilo foi criado como Reserva Biológica de São Camilo, através do Decreto nº 6.595, em 22 de fevereiro de 1990, com uma área de 400,80 hectares no município de Palotina, no sudoeste/oeste paranaense. A área, já logo após sua criação, começou a ser utilizada pela população da região como local de lazer e visitação, atividades que legalmente não são permitidas para a categoria “Reserva Biológica”. Com a finalidade de não somente preservar a biodiversidade local, mas também permitir a visitação, atividades de lazer e educação ambiental, o IAT, antigo IAP, recomendou a recategorização da Unidade de Conservação para a categoria de “Parque Estadual”, alteração que que foi oficializada por Decreto nº 7885 de 29 de julho de 2010 do Governo do Estado do Paraná.

A área tem como objetivo primário proteger a fauna e flora da região, pois abriga áreas de cobertura vegetal em avançado estágio de recuperação, possibilitando a sua preservação, e representa um refúgio para a fauna, sendo um dos últimos fragmentos florestais de porte considerável na região. 

Nesse sentido, o Parque é considerado um dos poucos fragmentos florestais da região e está inserido no Corredor de Biodiversidade Caiuá-Ilha Grande, com o objetivo de possibilitar a conexão com outras Unidades de Conservação através das suas matas ciliares, tornando-se assim, de grande interesse à conservação. Para o Estado do Paraná, o Parque traz uma série de benefícios, como a proteção da Floresta Estacional Semidecidual da Bacia do Rio Paraná.

O nome da Unidade foi definido em função do Rio São Camilo, às margens do qual se localiza a área. 

Caminhada na Trilha da Ponte:
Com 640 metros, a trilha é a principal atração do Parque. Possui fácil acesso e as principais espécies encontradas ali são: pau–marfim (Balfourodendrom riedelianum), angico (Parapiptadenia rigida), canafístula (Peltophorum dubium), cedro (Cedrela fissilis), painera (Chorisia speciosa), pitangueira (Eugenia uniflora), guavivoreira (Campomanesia xanthocarpa), gajuvira (Patagonula americana), louro-branco (Bastardiopsis densiflora), canelas (Ocotea spp., Endlicheria paniculata, Nectandra megapotamica e N. Lanceolata), jaracatiá (Jaracatia spinosa), etc.; 

Além de demais atividades, como contemplação da natureza, atividades de educação ambiental, voluntariado na UC, descanso nos quiosques ao lado do lago artificial e recepção e atendimento no Centro de Visitantes.

Em relação à flora, o Parque abriga populações de espécies próprias da Floresta Estacional Semidecidual de grande interesse em conservação, sendo presentes muitas espécies arbóreas com indivíduos de grande porte. As espécies mais comuns são: angico (Parapiptadenia rigida), cedro (Cedrela fissilis), guajuvira (Patagonula americana), louro-branco (Bastardiopsis densiflora), canelas (Ocotea spp., Endlicheria paniculata, Nectandra megapotamica e N. Lanceolata), maria-preta (Diatenopteryx sorbifollia), alecrim (Holocalyx balansae), canafístula (Peltophorum dubium), farinha-seca (Albizia hasslerii), pessegueiro-bravo (Prunus sp.), peroba (Aspidosperma polyneuron), entre outros. 

Quanto às espécies de mamíferos, podem ser encontrados na UC: mão-pelada (Procyon cancrivorus), cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), bugio (Alouatta sp.) e o veado (Mazama sp.). 

Dentre as espécies de cobras observadas na Unidade, citam-se a caninana (Spilotes pullatus) e a muçurana (Cleliaplumbea). Também merecem destaque, as serpentes (Dipsas indica bucephala - dormideira), a coral-verdadeira (Micrurus corallinus), a jararaca-comum (Bothrops jararaca) e a cobra cipó (Leptophis ahaetulla). 

Quanto às espécies de répteis aquáticos, destacam-se o jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris) habitando os banhados da porção noroeste da Reserva e um indivíduo solitário da tartaruga norte americana Trachemys scripta.
 

Recomendações

  • Repelente, protetor solar e roupas confortáveis são essenciais;
  • Use calçados sempre fechados e confortáveis;
  • Comida e água são importantes (mas lembre-se de trazer todos os resíduos de volta, incluindo os resíduos orgânicos, a exemplo de cascas e sementes de frutas);
  • Contribua com a conservação do Parque Estadual de São Camilo andando somente pelas trilhas sinalizadas e locais de descanso permitidos;
  • Procure andar sempre em grupos pequenos;
  • Procure andar em silêncio, contemple a natureza, tire apenas fotografias;

Recomendações acerca do Coronavírus

  • É obrigatório uso de máscara nas embarcações, trilhas, restaurantes e espaços comuns nas pousadas e campings;
  • Utilizar máscara cobrindo boca e nariz, apenas tocar no elástico da máscara quando necessário;
  • Manter higiene das mãos e máscaras;
  • Trocar as máscaras a cada duas horas ou quando necessário;
  • Manter o distanciamento social possível e evitar aglomerações;
  • Não compartilhar copos e utensílios pessoais com outros grupos, sem a higienização necessária

Atividades proibidas:

  • Ingresso de animais domésticos;
  • Fumar;
  • O consumo de bebidas alcoólicas;
  • Acampar
  • O uso de equipamentos que causem distúrbios sonoros na área;
  • Qualquer tipo de comércio ambulante na área do Parque;
  • Andar de carro ou moto fora do estacionamento;
  • O abandono de lixo, detritos de qualquer natureza ou outros materiais que maculem a integridade paisagística sanitária ou cênica da área;
  • Sair fora das trilhas previamente demarcadas e sinalizadas;
  • A prática de atos que possam provocar incêndios na área (fogueiras e churrascos);
  • Porte de facas, facões, foices, assim como de quaisquer outras ferramentas manuais de corte, armas de fogo, motosserras e equipamentos que causem distúrbios sonoros na área;
  • Coletar, depredar, entalhar e desgalhar as espécies arbóreas mantidas nas diversas áreas do Parque;
  • Caçar, pescar, coletar e apanhar peças do meio físico e de espécimes da flora e da fauna em todas as zonas de manejo, ressalvadas aquelas com finalidades científicas, desde que autorizadas pelo IAT - Diretoria do Patrimônio Natural (DIPAN);
  • A entrada de pessoas, veículos e equipamentos dentro do Parque não autorizados pelo IAT;
  • Alimentar e assustar os animais.

Observação: Qualquer dano promovido pelo visitante sujeitará o mesmo às sanções previstas na legislação ambiental vigente. 

Para sua segurança:

  • Cadastre-se. O cadastro é sua garantia de socorro numa emergência;
  • Evite tanto caminhar sozinho, como em grupos muito grandes;
  • A visita ao Parque é realizada por trilhas. Evite danos ao meio ambiente não saindo das trilhas indicadas;
  • Em caso de acidente, procure avisar a administração do Parque o mais rápido possível;
  • Obedeça a sinalização e a orientação dos funcionários e voluntários.

O cadastro deve ser preenchido na chegada à Unidade de Conservação, para segurança do visitante e para a gerência do Parque elaborar estatísticas de atividades, acesso, procedência, faixa etária, etc.