Parque Estadual Ilha do Mel

Parque Estadual Ilha do Mel (PEIM)

 

Localização:
Município de Paranaguá

Horário de Atendimento:
Consulte os horários de travessia no site http://www.abaline.com.br/

Gerente:
Letícia Salomão

Contato:
E-mail: leticia.salomao@iat.pr.gov.br
Telefones: (41) 3213 3461

 

Como chegar:

O acesso à Ilha do Mel é feito de barco via terminal de embarque dos municípios de Pontal do Paraná, na localidade de Pontal do Sul (30 minutos de travessia – custa em torno de R$ 35 ida e volta) ou do município de Paranaguá (1h 30min de travessia – custa R$ 53 por pessoa ida e volta).

Na ilha, só é permitido circular a pé ou de bicicleta. Nos terminais de embarque existem estacionamentos para veículos.

 

No ano de 1982, o serviço de patrimônio da união transferiu a administração da Ilha do Mel, por aforamento, ao Estado do Paraná, gravando como cláusula condicionante a instituição de uma Unidade de Conservação para proteção dos seus ecossistemas naturais. 

Assim, cerca de 95% da superfície da ilha constitui uma Estação Ecológica, criada pelo decreto 5.454 de 21 de setembro de 1982, tendo como objetivo a preservação e reconstituição de manguezais, restingas, brejos litorâneos e caxetais, e 5%constitui um Parque criado pelo decreto 5.506 de 21 de março de 2002, tendo como objetivo a preservação e reconstituição dos seus ambientes naturais de praia, costões rochosos, importantes remanescentes da Floresta Ombrófila Densa Submontana e de Terras baixas associada à Floresta de Restinga, proporcionando a proteção integral da Diversidade Biológica.

As áreas de preservação possuem como entorno belíssimas praias e atrativos turísticos, como a Fortaleza de Nossa Sra. dos Prazeres, o Morro do Farol e a Gruta das Encantadas, que, ao longo dos anos, transformaram a Ilha do Mel num dos pontos mais visitados por turistas no Paraná. Hoje há um Conselho Gestor, composto por representantes da comunidade e do poder público, que acompanha a aplicação das normas previstas no Zoneamento, tendo como coordenador executivo o Instituto Ambiental do Paraná (IAP). 

São duas as unidades de conservação, que têm por objetivo a preservação do ambiente natural. O Parque, além da preservação permite a visitação pública, educação ambiental, lazer de forma conscientizada e ordenado e a pesquisa científica. A Estação Ecológica, mais restritiva, prioriza a preservação e a pesquisa científica, sendo que a visitação pública só será permitida mediante a autorização do IAP e com fins educativos.

A ilha do mel é um destino de ecoturismo, onde as principais atrações são esculturas históricas, praia e trilhas. Podendo ser:

  • Gruta das Encantadas o patrimônio mais importante da ilha, para chegar até ela é preciso percorrer uma trilha de 600 metros;
  • Fortaleza de Nossa Senhora Dos Prazeres foi construída em 1679 e para ter acesso é preciso percorrer uma distância de 4km pela praia;
  • Farol de Conchas, a caminhada até lá é uma área plana e no final do percurso para o acesso ao farol é preciso subir cerca d 150 degraus, não é possível entrar no farol, mas como se encontra no topo do morro tem uma das melhores vistas da ilha;
  • Isso sem contar todas as praias e as trilhas que se é possível fazer dentro da ilha podendo ser uma trilha de 650m até 5km.

No mar podem-se visualizar os botos-cinza que são encontrados por toda a baía de Paranaguá se alimentando principalmente de peixes. Nas zonas do vaivém das ondas na praia vivem tatuiras e caranguejos de cor amarela esbranquiçada. Caranguejo Maria Farinha Nas linhas das marés encontra-se um Isopoda-Crustacea com cerca de 5mm de comprimento, carnívoro, que devora os restos de peixes, auxiliando na limpeza natural das praias. Ainda na praia, encontram-se os moluscos, muitas conchas de moluscos que vivem na área predominantemente arenosa são jogadas nas praias pelas ondas. Nos costões rochosos encontram-se várias espécies de mexilhões.

1 - Planejamento:
Antes de viajar informe-se sobre as condições climáticas do local e destino. Evite transtornos. Certifique-se dos horários de ônibus e barcos e desloque-se com antecedência. Escolha as atividades a serem realizadas conforme o seu condicionamento físico e nível de experiência.

2 - Trilhas:
Caminhe em grupos pequenos de até 10 pessoas. Ande nas trilhas sinalizadas, não use atalhos. Preste atenção onde pisa, pois há risco de animais peçonhentos.

3 - Não há lixo sem dono:
Lixo, mesmo que pequeno, causa impacto ambiental. Separe e deposite-o corretamente, leve-o de volta com você. Nunca queime nem enterre o lixo reciclável.

4 - Cada coisa em seu lugar:
Nada se leva de uma Unidade de Conservação. Resista à tentação de levar para casa "lembranças" do passeio ou deixar marcas em árvores e rochas.

5 - Não faça fogueiras:
Às fogueiras matam o solo, alteram os locais de acampamento e provocam incêndios. A fumaça das fogueiras causa poluição do ar e incomodam muita gente.

6 - Respeite os animais:
Observe os animais à distância. A proximidade pode ser interpretada como uma ameaça e provocar um ataque. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves. A caça e o tráfico são crimes graves inafiançáveis.

7 - Poluição sonora:
Os limites para emissão de sons são de 70 decibéis durante o dia e 60 decibéis à noite. Não ultrapasse esses limites. Consulte o IAP antes de realizar qualquer evento.

8 - Não leve animais:
Praia não é lugar de animais domésticos. Deixe-os em casa, pois eles podem transmitir doenças de pele e verminoses.

9 - Economize:
Água é vida. Valorize-a. O abastecimento, na Ilha, é limitado, portanto economize. Não tome banho demorado e não deixe torneiras abertas.

10 - Acampamento:
Acampe somente em locais autorizados. Quando acampado evite incomodar o próximo, respeitando os horários recomendados e limite sua alegria.